segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Debates Eleições 2011

Os dois debates realizados até agora são suficiente para ter uma certeza: será uma perda para a dinâmica parlamentar, para a qualidade do parlamento e para a vida política do país caso o PTS não conseguir eleger pelo menos um deputado. De preferência, João do Rosário, que é o 2º na respectiva lista. Pela ideias novas, pelos projectos exequíveis e, porque não, pela postura do seu presidente. Estou a lembrar-me de ideias como a «academia do desporto», as «casas-oficinas»,«a dimensão regional da competitividade»,«a energia fotovoltaico para a iluminação publica» ou o «subsídio de desemprego durante 3 meses». E quanto a postura do João do Rosário: não gastou 1 segundo a acusar o MPD ou o PAICV, concentrando-se apenas no futuro do país e dos cabo-verdianos. Pelas mesmas razões, lamento que o PTS não tenha uma estrutura mais forte na cidade da Praia. O segundo debate,entre a UCID e PTS, foi o que deve ser um bom debate: exposição e discussão de ideias.Esperemos pelo debate do dia 18 entre os dois maiores partidos. A meu ver, até agora, o PTS, ou o seu presidente, tem sido a grande surpresa desse debate eleitoral.

5 comentários:

Anónimo disse...

Um deputado? Como 1, se estàs a fazer elogio ao homem que é numero 2 na lista desse partido?

SE é ele o homem desse milagre, como ele é numero 2 entao têm de ser pelo menos 2 deputados, porque segundo a regra, é primeiro, segundo, terceiro, etc da lista.

Se um partido ganha so um lugar, esse lugar vai para o cabeça de lista e nao o numero 10 ou o do meio ou o ultimo da lista.

Bem, eu do meu lado, eu acho que PTS merece muito mais do que 2 deputados.

Se este povo for de facto inteligente, logo avesso à manipulaçao do PAICV e do MPD, entao tem de dar mais votos ao PTS e à UCID.

Este povo para ser respeitado, tem mostrar que tem cojones; tem de pôr o PAICV a tremer, e o MPD em sentido.

Chegou altura deste povo mostrar aos partidos que em matéria de votar ele é que manda.

Conclusao: pelo menos 5 deputados para o PTS, se este povo quiser o meu respeito. Quase contrario vou continuar a pensar que o povo crioulo é so garganta, festa e muita bazofia.

Eu posso dizer isso porque nao sou politico e estou-me nas tintas para qualquer povo que seja deste Planeta.

Eu gosto dos meus filhos, da minha filha e dos meus amigos...

Anónimo disse...

O facto de se "atirar" muitas ideias á parede, por si só, não revela mais do que isso mesmo.
Foi possivel escutarmos outras ideias do tipo que os médicos que trabalham na função pública não deveriam exercer sua actividade privada, ou que a solução para a questão energética resolve-se com a enrgia eólica.
É preciso avaliar e fundamentar as ideias, apoiados em dados e elementos concretos e não pensar que se descubriu a "pólvora" porque em Cabo Verde "tem muito Sol e vento".
Demagogia faz mal e já abunda na nossa politica!! Se é mais do mesmo, não muito obrigado! Para mais vinda de "politicos" especializados em oportunismo e cambalhotas em proveito próprio!

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Edy disse...

Bom,
se o representante do PTS é ou não um "político especializado em oportunismo" não faço a mínima ideia;digo-te até que antes desses debates nunca tinha visto ou ouvido o sr. João do Rosário.Quanto às ideias,é claro que haverá algumas sem fundamentos e outras que não passam de retórica.Mas,o meu amigo pode me dar exemplo de pelo menos um político que não recorre à demagogia durante um período eleitoral?O meu ponto não é saber quais as ideias apresentadas pelo líder do PTS mas sim outra bem mais simples:ao contrário do que é hábito,ele limitou-se a apresentar as ideias do partido.Errados ou não...

Anónimo disse...

Caro Edy

Não me referi ao Sr. Rosário, mas ao PTS, pelo seu "percurso" ,conhecido por todos.

Quando a evidente "demagogia" e o bairrismo passam a ser considerados como "normais" e fazendo parte da actividade politica, é sinal que algo vai muito mal!!.
É sinal que precisamos reflectir sobre o que é politica e saber se "essa" politica nos interessa. Penso que não, e muito mais quando vinda de pessoas que se propõe dirigir os destinos de uma Nação!!