terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Sociólogos em potência...


Dizem-me alguns amigos que temos excesso de licenciados e que temos excesso de oferta de,por esta ordem,juristas,economistas,gestores e sociólogos (provávelmente,daí a relativa perda de relevância no mercado de emprego).Não acho necessário debater questão desse tipo porque penso que esse fenómeno está ligado ao crescimento de qualquer país e irá acontecer com qualquer área do saber.Contudo,no que diz respeito à CV,não posso deixar de constatar um fenómeno interessante: todos,ou pelo menos a maioria,poetas,engenheiros,juristas,jornalistas,gestores e economistas,linguistas e outros,quando chamados a apresentarem a sua visão sobre um problema qualquer,não se furtam a apresentar a sua visão sociológica do problema.Ou seja,apesar da nossa formação de base,todos somos sociólogos em potência e somos capazes de elaborar uma e sempre uma explicação sociológica das "coisas":a velha e útil teoria da dominação simbólica e desigualdade social.Nada que me espante,afinal,nada nos impede de ler um ou dois sociólogos estrangeiros de renome e,como ser social que todos somos,podemos sempre todos brincar de "ser sociólogo".Até penso que isso não é uma exclusividade nossa uma vez que também acontece em outras passagens.Mas,é isso,agora qualquer estudo do INE que não demonstra que somos maioritariamente sociólogos é pura ficção...ou pelo menos esse seria um tema interssante para mais uma das perguntas cafeanas do João Branco...que dizes, Redy?

TV ON THE RADIO- "Dear Science"

Um dos melhores album do ano 2008...



"Dancing Choose"

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Corrupção


È um facto que,aparentemente,a corrupção tem crescido em CV (pessoalmente,embora possa estar enganado,considero que a maioria dessa "corrupção" não passa de tráfico de influência,de clientelismo e "cunhas" e menos corrupção financeira- sem dúvida,a mais alarmante dos tipos de corrupção e é nas alfândegas e controlos fronteiriços que encontramos esse tipo de corrupção).Se analisarmos os dados da Afrosondagem sobre a "percepção da corrupção" veremos claramente que essa percepção é socialmente diferenciado (a idade,instrução,classe social influenciam o que as pessoas entendem por corrupção,alargando ou restringindo o conçeito),razão pelo qual,acho importante termos em conta como a corrupção foi,é e está sendo socialmente construído em CV,principalmente,pelos partidos políticos como parte do jogo político-partidário mas também pela nossa elite com a conivência dos meios de comunicação social.Para além das causas e consequências da corrupação no crescimento económico de qualquer país,mais do que discursos e artigos,indo além das intenções,importa às práticas,medidas,instrumentos e participação de cada um de nós no combate e denúncia desse fenómeno.Com a recusa do MPD em acordar a reforma da Justiça com o PAICV,não podendo,por isso,esperar muito dos politicos e dos partidos,a eficácia do combate à corrupção passa obrigatóriamente por uma sociedade civil forte servido por uma comunicação social livre,independente,rigoroso e tranparente.Uma comunicação social com que aposta no jornalismo de investigação em detrimento do sensacionalismo.



  

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Mensagem di Natal


Achei muita piada ao facto do senhor 1º querer valorizar "nos Sinema, nos televizon".
E a quantidade de feiras que o governo quer organiar,juntamente com o caboverdianos,quer organizar?Feira internacional do artesanato,feira internacional de cinema e video amador,feira internacional do teatro e a feira internacional da música...com tantas feiras,não vai restar tempo para os nossos artistas irem trabalhar na função pública ou empresas onde trabalham.Nem para reclamarem do sr. ministro da cultura...Acho incrível que,no mesmo discurso em que manda um abraço solidário e amigo à crianças na rua,aos desfavorecidos,aos doentes e fala na redução de pobreza e da desigualdade e exclusão social,o 1º ministro elege como prioridade governamental para o novo ano,a cultura! (pelo menos foi o que os jornalistas informaram na radio).Não que o sector cultural não necessita de "maiores cuidados";é claro que sim.Mas,deixarão de ser prioridades a luta contra a pobreza,a criminalidade e o desemprego?

Nos Kabu Verdi di Speransa


Nos 1 ministru dja kre transforma Kabo Verdi na "Prasa Financeira Internacional","Plataforma de Serviços",na "Hub Internacional de Transportes",na "Sentru Tecnologico" i,goci ideia e tranforma Kabu Verdi na "Sentru Internacional di Intretinimentu Kultural".
Si n-ka stiver inganadu,inda tem mas ideias...Ku tantu ideias o projetus pa tranforma "identidadi o rosto comercial,economico,social i cultural" ka ta adimira nada ki governu inda ka konsigi konkretiza nenhum di kes ideias: nu sta sempri na meio kaminho di kada i di lugar nenhum!

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Bairros Sociais


O Edy já o tinha explicado muito bem aqui,por isso não vale alongar-me em explicações.No essencial,acho as construções de Bairros Sociais um erro.Um erro estratégico!Os problemas habitacionais e de condições de vida que esse "instrumentos" permite resolver à curto prazo,não compensa os problemas que irão surgir nesses bairros sociais à longo prazo.Básicamente,como disse uma vez o Bianda,o que se faz é "deslocar as pessoas e os seus problemas de bairros clandestinos para blocos de betão".E o pior é que,a longo prazo,atendendo aos critérios de selecção,com a pobreza vai junto à deliquência juvenil e o crime.Ou seja,resolve-se temporáriamente o problema de bairros clandestinos mas permite-se a agudização do crime. Infelizmente,fica-se com a sensação de que os nossos políticos estão mais preocupados com questões relacionados com o terreno (tirar as pessoas e as casas clandestinas duma zona para o valorizar) e menos com a própria pobreza.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Blog Joint


O país precisa de quem tenha ideias, propostas, alternativas. Nos partidos e fora deles, porque também é evidente que está a chegar a hora para novos protagonistas,novas ideias,mais críticas construtivas e,principalmente,avaliação das politícas públicas.
Por acreditar nisto é que nós,do Blogue di Nhu Naxu,decidimos aderir à proposta do Bianda.Penso até que podemos ser mais "dinámicos" e propor,no mínimo,2 temas mensais para o debate.Não é necessário conotar essa iniciativa com qualquer partido político ou qualquer sede de protagonismo;não é uma coisa nem outra!Só queremos debater e discutir ideias;ao invés de estar num bar com um clep´s à frente estaremos todos online.È como se fosse uma espécie de tertúlia,nada mais do que isso.E,quem sabe,não surge daqui um futuro think-thank independente?

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Porquê,perante a crise financeira mundial,a Bolsa de Valores de Cabo-Verde não cai?


Foi mais ou menos essa questão que o João Branco colocou,a algum tempo atrás,numa das suas "perguntas cafeanas".A dúvida,ou espanto,era alimentada pelas quedas diárias de inúmeras bolsa de valores em quase todas as praças financeiras mundiais menos a nossa Bolsa,que estava/está, aparentemente,imune à crise financeira e económica mundial.Numa explicação simplista,poderemos dizer que a nossa bolsa não sobe nem desce porque não há procura suficiente para fazer oscilar,positiva ou negativamente,o mercado.Exactamente como no mercado onde vamos comprar produtos "frescos": quando há muita oferta e pouca procura o preço baixa;quando há muita procura e pouca oferta o preço sobe;e quando há um equilibrio entre a oferta e a procura (muita oferta e muita procura ou pouca oferta e pouca procura) os preços tendem a manterem-se estável.
Existe um outro motivo importante:na nossa Bolsa,transiciona-se principalmente Obrigações e poucas Acções (estão cotadas cerca de 16 produtos obrigacionistas e acções de apenas 3 empresas).Até nas Ofertas Pública de Venda/Subscrição,tivemos e temos muita mais oferta de obrigações do que venda de acções de empresas.A diferença entre obrigações e acções é importante:aquela constitui apenas um empréstimo,fazendo do comprador das obrigações apenas um credor,enquanto a posse de acções faz do comprador um co-proprietário da empresa.È o preço das acções que oscila na bolsa,dependendo da oferta e da procura e dos resultados financeiros da empresa.Como em qualquer mercado,o objectivo é comprar para vender mais caro. 
Ora,se não existe uma dinámica na procura e oferta de acções na bolsa,mesmo porque há pouca oferta de acções,havendo mais credores do que capitalistas participando no "jogo" e não existindo participações accionista de grandes capitais estrangeiros nas nossas empresas cotadas,o comportamento da nossa bolsa de valores torna-se,pelo menos,previsível....

Almeida Garret


«Garret disse-nos,nas "Viagens na Minha Terra",quanto custa um rico a um país.O livro é de 1845,três anos do Manifesto Comunista,de Marx.Diz o seguinte:"E eu pergunto aos economistas políticos,aos moralistas,se já calcularam o número de indivíduos que é forçoso condenar à miséria,ao trabalho desproporcionado,à desmoralização,à infâmia,à ignorância crapulosa,à desgraça invencível,à penúria absoluta,para produzir um rico?
A actualidade da análise de Almeida Garret é por demais evidente.E coloca-nos em contacto com as novas realidades,incentivando-nos a decifrar essas novas figuras de autoridade,que surgem envolvidas em névoa,sem rosto e sem identificação nominal,mas que dominam e manobram os nossos destinos».

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Caminhando para a Sociedade de Informação em CV


Muitas vezes,uma boa politica pública só terá resultados práticos à médio e longo prazo.As recentes conferências/debates sobre as tecnologias de informação e "start-ups" tecnológicos,a pujança e projecção da NOSI e o anunciado programa "cada professor e cada aluno um computador" constituem,na minha opinião,um bom contributo governamental na construção da sociedade de informação em CV.Contudo,para além da intenção de criar os 135 telecentros,que deverão ser criados principalmente onde há mais necessidade,isto é,juntos dos mais pobres e em ilhas e zonas mais carenciadas,o governo deveria preocupar-se também com a liberalização e a massificação do acesso à internet quer através do mercado ou através da intervenção pública via NOSI (o que,aliás,tem feito e bem até agora).Ao contrário da minha geração,que só teve a primeira disciplina de informática no 12º ano,essas novas gerações estarão em melhores condições técnicas e periciais para serem profissionais da sociedade de informação e do conhecimento.E,de certeza,que teremos um sistema de inovação melhor preparado para suportar os nossos inovadores e as suas "empresas de software" que terão mais e melhoes condições de criar.Como se costuma dizer,«o caminho faz-se caminhando».

Provokason

Reason a concluson di studu di INE,undi es difendi ma pobreza dixi 10% di 2001 a 2007 foi "geral".I ingrasadu.Kuase tudu algem,tirando PAICV,e claro,steve contra kel resultado.Ma nau,ma e imposivel desaparesi tanto pobres,ma INE teni magicos ta trabadja pa es,enfim,ma studo e tecnicamente "duvidoso".
Foi ingrasadu pamodi ta da impreson ma INE e "bom" so ora ki ta apresenta studos ki ta pirmiti kritika governo.I kela ta kontisi tanto ku paicv,ku mpd,ku cronista i intelectual des ilhas.Nu sta ton abituadu a kritika tudu,ki nu ta kritika so pa kritika i nem nu ka preokupa ku fundamenta,apresenta dados pa contraria kes di INE i tenta persebi undi sta kel suposto erro tecnico di kel studo o,pa kes ki tem obrigason,apresenta proposta pa combati problema.
I,enkuanto nu sta diskuti,kes ke pobri i sta passa necesidadi ta continua ta xinta ta mara bariga...

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Avaliação dos Professores em CV


Uma vez que pode parecer que o nosso governo está indo ao reboque do governo português com esse encontro entre o Ministério da Educação,os professores e os gestores de polos educativos para "meditarem sobre a avaliação do desempenho",espero que os professores e os sindicatos da classe não resolvam,também eles,irem ao reboque dos professores e sindicatos da classe portuguesa com ameaçãs e provavéis organização de greves e manifestações "anti-avaliação" e em nome duma "escola pública livre".Aguardamos para ver se o futuro sistema de avaliação dos professores será merecerá ou não a oposição da classe e/ou,em consequência,se teremos ou não agitação da classe...

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

MILK...

ou como um bom filme baseado na vida real e um exemplo individual pode fazer muito pela defesa dos homosexuais e mudança de atitude e mentalidades...
O Sean Penn está nomeado para o melhor actor dramático para o próximo Globo de Ouro.Já vi o filme e recomendo.Veja a lista de nomeados aqui.


Que Estado para Cabo Verde?


A realidade é o verdadeiro teste, por vezes doloroso, das ideias.Face aos últimos dados do INE,qual é o papel do Estado que defendemos?Um Estado forte como defende,em teoria,o PAICV ou um Estado mínimo defendido pelo MPD(é claro,por esses dias da crise ninguêm terá coragem de voltar à essa ideia)?O que aqueles que defendem um Estado mínimo não dizem é que trata-se sempre de promover a reapropriação privada do Estado,das instituições e dos recursos públicos.
Sendo possível,e até desejável,conciliar a iniciativa privada com a intervenção estatal,um partido e um governo da "esquerda moderna" pode e deverá olhar para o Estado como um "Estado Estratega":um Estado activo,porque actor e agente,regulador da economia e presente na vida dos que tem mais necessidade;um Estado que têm como prioridade a eficiência fiscal (combatento o "free riding"- usufruir de politicas públicas sem pagar os impostos) e,consequentemente,um apoio social muito mais forte para combater as desigualidades sociais num país com grandes níveis de carências de apoios sociais em múltiplos domínios;um Estado que não sofre de "complexos liberais" e que,ao mesmo tempo que apoia o crescimento do sector privado,seja ele próprio propietário e accionista de grandes empresas de sectores vitais para a nossa vida colectiva;um Estado que atribui prioridade na prática ao interesse colectivo em detrimento do interesse particular.Para isso e para melhorar a redistribuição dos rendimentos,é essencial alterar a primeira alínea do artigo 175 da nossa Constituição da República que diz que cabe ao parlamento legislar em matéria de impostos (qualquer alteração fiscal terá de ter apoio da oposição para ser aprovado).Caboverde é um país com um elevadíssimo nível de desigualdade social, insuficientemente corrigida pelas transferências sociais e pela política fiscal.Se o desejo da esquerda é - como costumam alegar os seus líderes - transformar a sociedade caboverdiana, pois o momento é este.É que o combate às desigualdades não é apenas uma boa resposta às razões do nosso atraso nem aos sintomas da nossa injustiça. É também uma estratégia transformadora que, se for levada a sério, não deixará incólume o nosso panorama político.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Nosi e Inovação Tecnológica em CV


Está de parabens a Nosi por todo o sucesso que tem tido ao longo do seu percurso.E por tudo o que tem feito pela informatização da nossa administração pública e na criação da sociedade de informação nos principais centros do país.Se o sucesso da NOSI demonstra que temos capital humano suficiente para desenvolver um sector tecnológico competitivo e dinâmico em CV,porque não apareceu ainda uma empresa equivalente à NOSI no sector privado?Mais do que uma empresa de concerto de computadores ou de criação de sites,estou-me referindo,por exemplo,a uma empresa de desenvolvimento de software ou de design digital ou até de publicidade online.Ou seja,porque o empreendedorismo de base tecnológica é quase inexistente?
Já temos o essencial:capital humano (i.e.,engenheiros e informáticos capazes e bem formado).
A meu ver,entre outros,falta-nos desenvolver:
 -uma verdadeira política de investigação e desenvolvimento nas universidades públicas e privadas;
 -uma "gestão universitária" virada para o mercado;ou seja,uma ligação das universidades às empresas
 -surgimento de instrumentos financeiros de apoio à investigação e à surgimento de empresas de base tecnológica a partir de centros de investigação (spinoffs);
 - coerência das medidas nas diversas áreas governamentais relacionadas com a inovação

Certamente,alguns poderão dizer que também conta o tamanho do nosso pequeno mercado.No que poderei respoder: imagem o que seria a Nosi se fosse uma empresa privada que,como tal,seria ainda mais dinâmica descobrindo mercados para exportação dos seus produtos...

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Rekadus i (In)Diretas

Nha genti,n-sta inganadu o kel pontu 4 di artigu di "Zona" (Jorge Carlos Fonseca) na Expri foi um "recadu" à Jampa (Vital Moeda)?O pa munti di nos justiserus?kada um tra se concluson...

"4. Este é o país ainda tão vulnerável e ingénuo, capaz de criar os mais inimagináveis heróis a todos os níveis (profissional, político, cultural, literário, técnico). A receita é singela, amiúde: um profissional medíocre, impreparado e pouco afeito ao estudo e ao esforço; servido e amparado por alguma imprensa acrítica e sedenta de sensacionalismo; dotado de algum destempero verbal, ausência de sentido da fundamentação das coisas, sobretudo das coisas de seu ofício; possuidor de boa dose de populismo e intrépido e incauto tribuno de técnicas boçalidades ou propagandista de trivialidades presunçosas, pode ser rápida e ruidosamente transformado num senhor e num exemplar profissional. Não vemos por aí grosseiros simulacros de Garzón ou Morgados de trazer por casa na veste de emproados e celebrados justiceiros e salvadores da pátria?!

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Onde está o Curador de Arte?


Leio e acompanho,concordando com uns e discordando de outras,as críticas que os nossos entendidos nas lidas da arte e da cultura fazem à "vida cultural" no geral em Cabo Verde (desde o Ministro passando pelo governo até às práticas e hábitos culturais do povo).Contudo,salvo traição da memória,ainda não vi o Abrãao,o Bianda,o João Branco,o Albratoz ou a Margarida (dos blogues que visito,esses são aqueles que são os mais "pró-cultura"),dizia eu,a falarem,ou não dei por isso,da necessidade duma figura essencial na vida cultural:o curador de arte!
Existe alguêm em Cabo-Verde com essa profissião/hobbie?Não seria importante ter alguêm no Ministério da Cultura com essa função de fazer a ligação entre os artistas e o público (atendendo ao que diz Abrão,até seria capaz de dizer que essa figura pode funcionar como "educador cultural/artístico" do caboverdiano mais informado)?
Ah,é verdade: li nos jornais que ocorreu à uns meses uma conferência onde uma das oradadoras era uma conhecida curadora protuguesa.Alguma decisão importante para o desenvolvimento dessa figura que,a meu ver,é importantíssimo para a "educação cultural"?Alguêm se candidata,mesmo como hobbie?
ps: eu sei,poderão dizer-me que,de qualquer maneira,os próprios artistas já são,eles mesmos,os curadores.Mas,pensem no que se poderia ganhar se esse trabalho fosse realizado por um profissional...

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Nós falamos bonito e outros fazem...

“Nova lei obriga partidos a incluir 20 mil mulheres nas listas para as eleições de 2009. Um terço dos candidatos tem forçosamente que ser mulher”.

sábado, 29 de novembro de 2008

Sem Emenda

O populismo obsessivo do MPD e do seu presidente,Jorge Santos,levou-os à acusação,ou à tentativa,de ligar o primeiro-ministro,JMN,às fraudes do Banco Insular e,através deste,da Sociedade Lusa de Negócios e do Banco Popular de Negócios.Ao contrário do que o "Liberal" quer fazer crer ao dizer que foi um incidente parlamentar,essa situação foi e é grave!Foi grave o líder da oposição fazer uma acusação dessas com essa "leviandade" (se pensarmos que não apresentou provas ou dados que justifiquem sequer a desconfiança) e sera grave se essa acusação ou desconfiança vier a provar-se justificada.Por isso,o conselho do Redy na "Ku Frontalidade,parece-me uma fuga em frente.Um bom conselho seria dizer ao Jorge Santos para apresentar ao Procurador Geral da República os dados e as provas que justifiquem uma investigação aos membros e ex-membros do governo (e de ex-governos) com ligações "hipotética" ao caso Banco Insular/SLN/BPN.Apresentar uma moção de censura ao governo com base apenas em "desconfianças",sem dados concretos,parece-me pouco sensato.Os nossos políticos têm de parar de fazer política como uma "briga pessoal",atacando a seriedade uns de outros,e comerçar a fazer política pela defesa da ideologia ou ideias que acreditem ser o melhor para o país.Os politicos,todos eles,não são e não podem ser tratados como homens sem honra só porque são politicos ou porque são deste ou daquele partido!

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Gostaria de ter escrito isto...

"Um dos problemas nos debates entre esquerda e direita radica na tendência para atribuir a cada um daqueles termos um valor holista que eles ganham em não ter. De facto, a oposição esquerda-direita merece sobretudo ser pensada como remetendo para a oposição igualdade-desigualdade, podendo e devendo ser em seguida combinada com outras oposições para delimitar os contornos de diferentes programas políticos. Igualdade-desigualdade e não, com também foi corrente no passado, igualdade-liberdade. A liberdade e o seu contrário, o despotismo, não constituem património da direita nem da esquerda, dividindo ambos os campos...Igualdade e escolha, regulação e mobilidade, solidariedade e descentralização são alguns dos termos a conciliar numa agenda social-democrata liberal".

Rui Pena Pires

Os politicos "crioulos" deveriam ouvir este "conselho"

«Alguns dizem que os nossos problemas são estruturais, sem nenhuma cura rápida disponível; mas creio que os únicos obstáculos estruturais importantes à prosperidade mundial são as doutrinas obsoletas que confundem as mentes dos homens.»

Paul Krugman no último número da NYRB, em registo keynesiano.

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Carlos Veiga na onda pa Presidensia


N-odja onti entrevista ki Carlos Veiga da na programa "Forum" di RTP-Àfrica,na Lisboa.Bom entrevista,suguru i "bem comportadu" (i.e.,politicamente kuretu).E tevi capasidadi di elojia i o mesmu tempu "kritika sem kritika" governu!O seja,e aponta kes problemas di Cabo Verdi sem fla ma governu e culpadu di tudu o ma sta inkapaz di resolvi problemas di país.Klaramenti,e sta ta pripara caminhu,o midjor,dje sta na meta di partida pa eleison presidensial.I sta parsem ma PAICV sta ta durmi na forma.Ora kes korda,sem um candidatu forti ki inda es ka teni,Carlos Veiga dja sta eleito (as ves ta parsi ma propi PAICV dja sta convensido ma des bes mes ka teni ningem pa consigi ganha Carlos Veiga i,por iso,es ka sta preokupa ku eleison presidensial).

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra as Mulheres

...hoje, dia 25 de Novembro. Foi proclamado pela ONU, em 1999, e pretende denunciar a violência praticada contra as mulheres.Assina e divulga a petição Diga Não à Violência sobre as Mulheres uma iniciativa da UNIFEM, Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas Para as Mulheres, que exige que a erradicação da violência sobre as mulheres seja uma prioridade para os governos de todo o mundo.

Lévi-Strauss prestes a tornar-se o primeiro membro centenário da Academia Francesa


«É um dos grandes intelectuais franceses do século XX, lançou as bases da Antropologia moderna e cumpre cem anos na sexta-feira, dia 28. O filósofo-antropólogo Claude Lévi-Strauss torna-se assim o primeiro membro centenário da Academia Francesa, para onde entrou em 1973. Foi também um crítico do etnocentrismo e de algum modo um precursor intelectual do movimento ecologista.

Habita num edifício discreto na zona oeste de Paris e não se mostra inquieto com a posteridade nem escreveu memórias.

A celebridade chegou-lhe cedo e a sua memória não parece comprometida. Entre as homenagens agendadas, há uma jornada especial na sexta-feira no Museu das Artes Primitivas, em Paris, onde uma centena de personalidades vão ler os seus principais textos. O canal de televisão franco-alemão Arte vai dedicar-lhe uma emissão especial e há cerca de vinte títulos seus nas livrarias.

"A grande questão da Antropologia é a variação entre as diferentes culturas. Porque é que há culturas diferentes?", resume uma das antigas alunas de Lévi-Struss, Anne-Christine Taylor, especialista em culturas indígenas da Amazónia, citada pela AFP. "Ele trouxe um olhar novo a esta questão, partindo do postulado de que há uma ordem por trás das diferentes culturas", acrescenta.

Por outro lado, Lévi-Strauss criticou também o aparecimento de uma corrente de pensamento humanista que secundarizou a natureza, tornando-se assim num precursor do movimento ecologista. O autor é centenário, a obra continua actual.O diário francês Libération diz que ele "instalou-se há muito numa espécie de intemporalidade", em que "não se mistura com nada que não tenha escolhido", o que já "é anterior à sua reforma". Numa entrevista em 2005, Lévi-Strauss disse: "Dirigimo-nos para uma espécie de civilização à escala mundial. (...) Estamos num mundo a que já não pertenço. Aquele que conheci, aquele de que gostei, tinha 1500 milhões de habitantes. O mundo actual tem seis mil milhões de humanos. Já não é o meu."»

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Os TACV e a perspectiva da Governança Empresarial

Não acho que o governo possa ser considerado o culpado da situação difícil dos TACV.Muito menos o único culpado.A falha deste governo,como de todos os outros anteriores governos,em relação aos TACV,e a outras empresas públicas,são principalmente falhas relativas ao corporate governance (governação empresarial).A governabilidade empresarial,enquanto tema relacionado com as funções,missão e controlo dos gestores (partilha do poder),em sentido lato,é o conjunto de mecanismos e práticas institucionais da empresa que permitem legitimar as funções de autoridade exercida directamente pelos gestores.Estes mecanismos de governabilidade empresarial compreendem os orgãos de representação (ex:assembleia-geral de accionistas),os órgãos executivos (ex:Conselho de Administração) e os órgãos de controlo (ex:Conselho Fiscal,Auditores).
Uma empresa pode ser descrita a 2 níveis:quanto à sua forma de governo (mecanismos que legitimam a função de Administração e o seu controlo,ou seja,o poder de decisão delegado aos gestores funcionais) e quanto ao seu modelo de gestão (exercicio efectivo do poder).O modo como os accionistas orientam,controlam e legitimam os gestores não é um detalhe na vida das empresas:é um dos elementos que determinam a sua eficácia e a sua estratégia.O governo,como "accionista" da empresa,não soube "lidar" com o problema do principal/agente (os gestores são agentes trabalhando para desenvolver o interesse dos principais,os accionistas,mas,devido a informação priveligiada de que dispõem,são tentados a perseguir os seus próprios interesses em termos de poder e remuneração,mesmo que seja em detrimento dos interesses dos accionistas).Um bom governo das empresas exige que os gestores prestem contas da sua gestão e dos seus objectivos.O governo também poderia ter representantes numa assembleia geralde modo a que tenha uma participação efectiva no "desenho" da estratégia da empresa (suponho que não existe esse mecanismo nos TACV).A criação de condições para uma responsabilização financeira dos gestores de modo a que estes não sejam os únicos actores a sair ganhadores em situações de recessão económico,enquanto todos os outros perdem,é uma prioridade.

ps: este é apenas um dos ângulos por onde pode ser analisado o case-study que representa os TACV.È claro que fica ainda muito por dizer sobre anos e anos de incompetência de gestão ou até práticas de gestão pouco transparente...

Panuleros i Hipócritas

Pa n-ka dadu ku pó pamodi tituli di kel post,nta comesa ta fla ma n-usa termo Panuleru pamodi el e sinonimo criolo di gay i homosexual.Portanto,panuleru ka tem num sentido negativo.
Desdi kel selebri artigo di um tal economista ki apresenta se "vison cristã" sobre homsexualidadi ki alguns reaji,ku algum isageru,kontra kel artigo i otus ate sta ta tenta organiza um "movimento social di LGT di CV".Realmenti comunicason social tem impacto forti:um kusa ki,na dia a dia,ta comentadu,ta tchokotadu i ta fazi munti matchus bedjos da bons gargalhadas tudu fim di tardi i inicio di noti na conbersas di bares di CV,ta provoca isteria colectiva (ó isteria intelectualóide) so pamodi kes mesmos kusas ki ta txokotadu kol na bar parsi skritu na um jornal.I,pecado dos pecados,num jornal importanti di terra.Maior pecado inda:scrito pa um algem lisensiado,um economista.Alguns ate txiga di fla ma "A Semana" ka devia aseitaba kel artigo.Ò seja,um jornal,nes caso,"A Semana",so debi aseita artigos "politicamente correcto" i ki konteudo ka ta sai fora "da mediania medríocre do discurso abstracto".Ta parci ma,pa alguns,liberdadi di ispreson tem ki ta funsiona so na um sentido unico.Otus insinua ma kel gajo debi,o midjor,tem ki ser mau economista e mau intelectual so pamodi e tem opinion ke tem.Ka nhos intendem mal:ami é kontra opinion di kel economista i screvi kel artigo i nem n-ka sta defendel.So nkre fla ma n-atxa esageradu i xeio di hipokrisia alguns reason.Allô gentis,CV tem um populason 98% homofóbica.Pelo menos,na nos prasa privado.Mesmo munti di kes ke kursados e dotores bu ta atxas na bares ta trosa di panuleros.E la ki bu ta odja sena toda: na discurso informal i nao na discurso formal i politicamente correcta pa fazi boi durmi.Es ta engana kenha ki ta bai na conbersa.Pergunta um amigaso,kel ki nhos ta fala di tudo abertamenti,kuse ke ta fazeba se bem tem um fidjo panulero...E si ki nos tudu nu ta bem reagi kada bes ki screbedu o falado na tv ma homosexualidadi e doensa?i ora um padre o nhu bispo fla um kusa paresido,nu ta fika tudu kalado o nu ta reclama,nu ta screve contra-argumentu?
Antis di mas,pa kenha ki kre organiza o kria um movimento social,e tem ki ta tem um tradjon dos diabos pa nhos convensi panuleros ku lesbicas de nos terra a da cara: algem conxi 10 panulero assumido na CV?Dipos nhos tem ki ta convenses a da cara na comunicason social pes apresenta casos undi es xinti discriminado pamodi ses orientason sexual.Pa fim,ora ki nhos convensi alguns a vive djunto como um casal,nhos tem ki ta fazi lobby i presson politico pa muda alguns kusas na lei.Identidadi di grupo obligé....
N-atxa mutu mas faxi e mas ifisienti nu tenta muda kusas atreves di i na educason: na scola i na casa,ku nos fidjos.So asi ki kusas ta comesa muda...ma inda falta txeu nha povo.Axo ki nenhum di nos ki sta ta skrebi pa blogues ka ta sta nes mundo mas...
 

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Semana Global do Empreendedorismo

Tem início hoje até 23 de Novembro,simultaneamente em 75 países,semana Global do Empreendedorismo e conta com Gordon Brown como padrinho da iniciativa.Este é o maior movimento mundial de empreendedorismo e tem como objectivo despertar a atitude empreendedora que existe em cada pessoa.Onde tudo começou:

  "O MOVIMENTO surgiu na Inglaterra, em 2004, quando o Ministro da Fazenda, Gordon Brown, sentiu a necessidade de estimular o espírito empreendedor, a inovação e a criatividade no país.Assim, foi criada a Semana do Empreendedorismo, em que foram desenvolvidas diferentes atividades que inspirassem as pessoas a estimularem mais a atitude, a serem protagonistas de suas histórias e colocarem suas idéias em prática.Em 2007, os EUA entraram para o MOVIMENTO e os resultados foram surpreendentes, com direito até a oficializar a Semana em alguns Estados.Devido aos excelentes resultados, ambos os países decidiram globalizar a Semana e, atualmente, mais de 50 países fazem parte deste MOVIMENTO, todos unidos em prol do empreendedorismo.Será um grande marco para o planeta por ser a primeira vez que o mundo todo colocará o empreendedorismo em pauta, simultaneamente. Atualmente, cada país se propõe a mobilizar as pessoas para construir um futuro melhor e ainda mais empreendedor".

Quando é que teremos esse evento em Cabo Verde,uma semana nacional de empreendedorismo?
Os nossos governantes precisam consciencializar que empreenderorismo é um fenómeno que não pode fazer parte apenas do discurso político.O empreendedorismo é principalmente um atitude e,como tal,tem de sair do discurso para a prática.Este evento é uma boa ideia para organizamos em Cabo Verde de modo a publicitar e estimular o empreendedorismo entre os nossos estudantes,jovens e população activa no geral. 

Visita a pagina,brasileiro,do evento: www.semanaglobal.org.br

domingo, 16 de novembro de 2008

Taxa de Manutenção Rodoviária e Transporte Público


Faz muito bem a Ministra das Finanças em insistir na Taxa de Manutenção Rodoviária (que deveria ser de 7 escudos por cada litro de combustível) e fez muito mal o MPD em não apoiar essa medida tentando obter proveitos políticos com a sua posição.Ao mesmo tempo que o Governos não explicou a população a justeza e necessidade da medida,o MPD aproveitou para tornar tudo mais confuso à vista,principalmente,dos "praienses".Independentemente da quantia a pagar,que poderá baixar ou diminuir conforme a evolução desse mercado,a medida é justa porque,ao invés dos caboverdianos que não possuem automóvel estarem a pagar pela manutenção das estradas,apenas os que efectivamente possuem carros e utilizam as estradas vão contribuir pela sua manutenção.A medida é necessária porque,o Banco Mundial tem um acordo com a Cabo Verde em que aquela instituição financeira financia as estradas mas o governo deve ser o responsável pela manutenção.Sendo assim,é preferível que seja apenas o funcionário público ou privado,que utiliza a estrada todos os dias para ir e voltar de trabalho e aos fim de semana para ir para o interior,a pagar essa taxa para Estado "cuidar" de algo para o seu uso ou que essa taxa seja também paga por aqueles que não tem carro e que,por isso,utilizam os transportes colectivos?A resposta é,ou deveria ser,óbvia.O funciónario que utiliza a Moura Company porque não tem automóvel estaria,e está,a ser duplamente prejudicado: porque paga a taxa de manutenção e paga o transporte que utiliza (através do passe ou dos bilhetes).E se o Estado críasse uma taxa de viagens internacionais paga por todos,como meio de financiar os TACV?Por ridículo que parece a ideia,ninguêm,principalmente aqueles que não viajam regularmente,acharia justo.As pessoas tendem a ser mais racionais quando quando têm de pagar pelo que usam,razão pela qual o uso do carro deve ser taxado e as receitas daí provenientes têm que ser redistribuídas pela população.Como?Porque não oferecendo transportes públicos gratuítos (essa ideia implicaria o Estado ter de criar uma empresa de transporte público;mas,caso não seja possível,esse "serviço público" poderá ser prestado pelas empresas privadas de trasnportes colectivos através de um acordo em que o Estado pagaria esse serviços- claro está que essas empresas estariam obrigadas a aumentar e a melhorar a qualidade da frota)? Haveria logo um descongestionamento?Talvez sim...O governo também poderia criar políticas de incentivos à não utilização do carro,ao invés de uma simples política de punições (uma ideia interessante seria atribuir um crédito- para usar em combustível ou até no IA- ao condutor que deixar o veículo em na hora de ponta).

Convencidos da Vida- Alexandre O´Neill

« Todos os dias os encontro. Evito-os. Às vezes sou obrigado a escutá-los, a dialogar com eles. Já não me confrangem. Contam-me vitórias. Querem vencer, querem, convencidos, convencer. Vençam lá, à vontade. Sobretudo, vençam sem me chatear.
Mas também os aturo por escrito. No livro, no jornal. Romancistas, poetas, ensaístas, críticos (de cinema, meu Deus, de cinema!). Será que voltaram os polígrafos? Voltaram, pois, e em força.
Convencidos da vida há-os, afinal, por toda a parte, em todos (e por todos) os meios. Eles estão convictos da sua excelência, da excelência das suas obras e manobras (as obras justificam as manobras), de que podem ser, se ainda não são, os melhores, os mais em vista. Praticam, uns com os outros, nada de genuinamente indecente: apenas um espelhismo lisonjeador. Além de espectadores, o convencido precisa de irmãos-em-convencimento. Isolado, através de quem poderia continuar a convencer-se, a propagar-se?
»

sábado, 15 de novembro de 2008

Sensibilidades e Redenção



Sempre soube que somos um povo que ainda não se libertou totalmente da influência dos nossos ex-colonos.Talvez isso nunca venha a acontecer...por aqui,na nossa consciência colectiva,aquela célebre frase da música "Redemption Song" do grande Bob Marley não fez raíz:"emancipate yourself from mental slavery,none but ourself can free our mind".Oiçam e tentam incorporar o sentido dessa frase.Digo isto por causa da reacção ao post "pirata da ilhas" da Margarida dos "momentos".Reacção que se fez sentir nas respostas do próprio post e nos blogues Ku Frontalidade e Café Margoso. Quanto ao Café Morgoso,acho que o João simplesmente não entendeu o sentido do post da Margarida.Ou melhor,viu no post mais do que aquilo que lá estava;o único ponto onde o João pode ter algum razão é quando fala no corporativismo da Margarida.Mas,isso não é pecado nenhum: que profissional de um sector qualquer não o faz?Agora,acho a reacção do Redy do Ku Frontalidade um exagero.Primeiro porque,onde ele vé xenofobia e racismo só existe uma crítica profissional.O que a Margarida queria dizer foi que "aqueles jornalistas que,por acaso,são portugueses tem baixo valor profissional" e não,como muitos depreenderam, "os portugueses que por acaso são jornalista em Cabo Verde têm baixo valor profissional".Fico perguntando se a reacção seria a mesma caso a Margarida tivesse escrito "os pedreiros da guiné,gana ou mali que estão em Cabo Verde não tem valor profissional"?
A reacção do Redy é mais uma vez exagerado quando compara a posição da Margarida com a de Manuela Ferreira Leite que disse,a semana atrás,que as grandes obras públicas só favoreciam o mercado de trabalho de Cabo Verde e da Ucránia.Convenhamos,essa comparação não abona em nada o seu proponente.Uma coisa foi o racismo puro da MFL porque discriminou 2 povos que trabalham e vivem em Portugal e outra é criticar apenas o nível profissional das pessoas.Se a Margarida tivesse dito que "os jornalistas caboverdianos são fracos a nível profissional" todos,inclusive o Redy,concordariam com ela.Mas como ela cometeu o pecado de criticar jornalistas que são portugueses...È curioso,ao mesmo tempo que dizemos que temos parar de copiar tudo dos portugueses e que temos de parar com a mania de ter os portugueses como nossos consultores em tudo,reagimos que nem virgens ofendidas quando um criolo tem a ousadia de criticar um português.Por acaso não há um profissional caboverdiano que pode ser melhor profissional que alguns ou muitos portugueses?Existem bons e maus profissionais em todas os sectores de actividade,quer em Cabo Verde quer em Portugal.E todos os profissionais e os respectivos trabalhos estão sujeitos a críticas e à avaliação de pares,mesmo que informalmente...

ps: não conheço os jornalistas em causa,nem o seu trabalho.Por isso,não sou eu que vou defender ou criticar o trabalho deles....

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Pagando Impostos 2009...em Cabo Verde


Maldivas,Qatar,Hong Kong (China),Emirados Arabes Unidos,Singapura,Irlanda,Arabia Saudita,Omã,Kweit,Kiribati são,por esta ordem,os países do mundo onde pagar impostos é mais fácil.As conclusões foram apresentdas nesta última 3ª feira num estudo conjunto do Banco Mundial e da PricewaterhouseCoopers intitulado "Paying Taxes 2009".O "paying taxes" faz parte do relatório Doing Business e tem por objecto analisar as taxas de imposto pagas pelas empresas em 181 países.Esse indicador é medida através de 3 indicadores:a taxa total de impostos,o tempo médio para cumprir as obrigações fiscais das empresas e o número de impostos que as empresas pagam em cada país.Ficamos assim a saber que o país mais reformador foi a República Dominicana e que as reformas fiscais mais populares foram a redução da taxa de imposto sobre o rendimento das empresas (em 21 países) e a melhoria na entrega de declarações electrónicas e nos sistemas de pagamento.Em termos globais,as empresas em Cabo Verde pagam 54 % do total de taxa de imposto.Será verdade que as empresas pagam um total de 57 taxas?
No que diz respeito à simplificação ou facilidade de pagamento Cabo Verde surge na 115º entre os 181 lugares no ranking;quanto à taxa de pagamento estamos na 164º posição;no referente ao tempo necessário para as empresas cumprirem as suas obrigações ficais com o Estado estamos na  20ª posição demorando em média 100 horas por ano (a tributação que incide sobre a taxa de consumo ou a IVA consome às empresas 48 horas,os impostos sobre o trabalho consome 36 horas e o imposto sobre as empresas 16 horas por ano) e na taxa total dos impostos estamos na 136º posição do ranking.
Esse "ambiente fiscal" não ajuda muito às nossas empresas e condiciona o surgimento de novas empresas nacionais (o que é completamente diferente para as empresas)...

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Jornada di um Badiu ki tchoma Norberto Tavares

Sima e tipiku di kriolo nu ta da algem valor so ora ke bai pa djuntu di sinhor!Nu odja nos Gobernu ta fazi algum kusa pa Bana kantu e teve problema di saudi...sta dreto!Bana teve si ómenagi bibo.Ago,kuse ki gobernu i Ministru di Kultura sta spera pa organiza i presta ómenagi pa Norberto Tavares,um di kes maior e midjor musiku di stória di cabu berdi?Es sta ta prepara pes bem mostra lagrimas di krokodilo ora ki dja e tardi?So partisipason di presidenti di PAICV na jantar ki foi fetu na merka pa Norberto ka ta txiga...e pa kontisi kel ki ningem ka kre pa kontisi pa tudu algem sperta,pa skrebu diskursos bonitus,pa declaradu luto nasional,pa passadu ses musikas na tudu radio,pa tudu blog kriolos skreve um post sobre Norberto...

Di Italia També Ta Bem Bons Isemplu...










IF YOU ARE NOT ITALIAN AND FELT INSULTED BY ONE OF PRIME MINISTER SILVIO BERLUSCONI´S IGNORANT AND INAPPROPIATE JOKES,PLEASE ACCEPT OUR APLOGIES.

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Cristina Duarte,a futura 1ª Ministra


O 1º ministro José Maria Neves quer criar e manter o tabu sobre a sua recandidatura.Pelo sim pelo não,como ele ainda não decidiu,ou ainda não quer dizer,se vai ou não vai ser o candidato do PAICV nas próximas eleições,eu,com essa distância das eleições legislativas,já tenho a minha candidata para o cargo do(a) próximo(a) 1º ministro(a) de Cabo Verde,caso o actual detentor do cargo não queira se candidatar de novo:ela é nada mais nada menos que,Cristina Duarte,a actual ministra das finanças.Por aquilo que acabei de ler na entrevista articulada,inteligente e cheio de visão estratégicas para o país que ela deu no último número do cifrão,não vejo e não consigo encontrar,nem no partido dela nem na oposição,alguêm mais preparada do que ela.È óbvio que lhe falta aquelas características,que alguns associariam aos populistas,para que seja principalmente ela a ganhar as próximas eleições (aquelas que sobrassaem no ambiente de eleições e comícios politicos).Contudo,o que lhe falta em "populismo" sobra em inteligência,visão,determinação e coragem (vemos tudo isso na defesa que ela faz em favor da taxa da manutenção rodoviária).Nem adianta falar no simbolismo de termos uma mulher como 1ª minstra.Se ela for candidata,pela 1ª vez votarei em Cabo Verde e será na Cristina Duarte.

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Políticos Universitários


Mais uma vez,os nossos políticos já nem se preocupam em fingir que querem ser cada vez mais igual aos portugueses.Aos portugueses que são politicos e,já agora,a alguns empresários portugueses também.Acontece que,em Portugal,pelo menos nas universidades públicas que são prestigiadas,encontramos "universitários politicos";ou seja,professores universitários de carreira que,pertencendo a um partido,também fazem política.Acontece também que,algumas universidades tem o hábito de convidar politicos ou ex-politicos para serem professores convidados mas que não são do quadro pela simples razão de não terem seguido a carreira universitária normal (ensino e,principalmente,investigação),tornando-se assim em "políticos universitários".Será que experiência governativa é suficiente para que uma pessoa seja um "bom" universitário?O nosso 1º ministro já tem lugar garantido quando sair do governo: será professor de quadro na Universidade de Cabo-Verde.Tendo o magnífico reitor concordado,quem sou eu para duvidar da capacidade académica do nosso 1º ministro?Ao menos,o homen não vai sair do governo como mais um novo empresário da nossa praça.Contudo,fica-me uma dúvida:como é que um funcionário passa para quadro dum organismo quando nunca trabalhou sequer nesse organismo?

Ainda o Banco Insular


Está crónica desaforada do Café Margoso leva-nos a pensar que o "desaparecimento" dos 360 milhões de euros foi parar ao bolso de alguêm, entre empresários,gestores e políticos.È óbvio que existe ou existiu uma ligação perigosa do governo com gestores do Banco Insular mas,pelo que foi noticiado pelos jornais económicos em Portugal,parece que os 360 milhões de euros não foi para apenas aos bolsos de alguêm em Cabo Verde.È que,ainda segundo o Jornal de Negócios (JdN) de hoje,«o BPN usou o banco cabo-verdiano Insular para realizar operações virtuais que geraram perdas superiores a 360 milhões de euros.Além disso usou "off-shores" para comprar acções próprias não reportadas como tal».Ou seja,as perdas do BPN foram contabilizadas no Banco Insular.
Podem ver aqui porque poucos sabiam a quem pertencia o Banco Insular e como é que as empresas podem e conseguem fintar à fiscalização e supervisão de entidades competentes.Soube-se também,na edição imprensa do JdN da passada quarta-feira,que o grupo BPN é proprietária de mais um banco em Cabo-Verde: o BPN IFI...agora,com a nacionalização,tanto o Banco Insular como o BPN IFI pertencem ao Estado Português!Ah, é verdade,ainda temos o BCA e o Interatlântico que também são do mesmo proprietário...

Discursos do Obama

TURNING A PHRASE Jon Favreau, chief speechwriter to Senator Barack Obama, at work the night of the New Hampshire primary.

Não obstante a sua capacidade oratória,Obama deverá estar enormente surpreendido com o trabalho do seu "speechwriter".È isso mesmo,o autor dos seus poderosos e surpreendentes discursos é Jon Favreau (não confundir com o actor),que agora tem 26 anos mas que começou a trabalhar Obama quando tinha apenas 23 anos.Até que,por curiosidade,gostaria de saber quem é que escreve os discursos dos nossos políticos...

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Ileison Mercano

Nha genti,es dias tudu algem di direita fingi ser di sentro-eskerda,di eskerda i o sosialista so pa ka perdi opurtunidadi di mostra ses filicidadi ku ileison di Obama.Gentis di MPD tudu kontenti sima ki es e sosialistas o di mesmu familia politika di Partido Demokratico.
Dipos di "obamania" ki kontagia kuasi tudu algem pa tudu kantu di mundu duranti campanha,vitória di Obama na ileison dja provoka 1ª consikuensia na CV: pirmita pa mostra ma nu tem na terra munti specialistas na "stória di presidensia di EUA",na "politika internacional",prinsipalmenti di EUA in i nu tem entri nos munti psicologos specialistas na personalidadi di Barack Obama...Kantu Bill Clinton foi eleito na se 1º mandato ningem ka ta daba nada pa el;hoje em dia mundu interu teni sodadi del.Contrariamenti,goci tudu algem sta eufóriku ku Obama...ali bem tempu ki tudu specialistas na Obama di hoje ta bem fala mal del...

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Eleições americanas!!!

1h54 de quarta-feira 5 de Novembro.

Ando para aqui sem sono, melhor com sono, mas sem vontade de perder a oportunidade de ver, em directo, a oportunidade de se estar a fazer história!
As eleições presidenciais nos EUA, para quem se interessa, é de facto algo apaixonante quanto intrigante.
Senão vejamos este vídeo... algo só mesmo visto na democracia americana! Ou será que só eles é que se dão ao trabalho de fazer esta montagem quase perfeita?
Os três debates entre os dois candidatos foram quase iguais, até nas palavras usadas, na acentuação e no tom das frases!
Eu vi dois e posso garantir que, pelo menos nas questões essenciais, não divergiram muito...Impressionante!!!

São 2h00 e pelas previsões da CNN faltam 96 super-delegados para o Obama fazer 270 para ganhar e fazer História. Deve (devia) ser o sonho de qualquer homem/mulher, fazer algo que fique para a História. 2h02.

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Um Bem-Vindo à ADEI


E assim nasceu a ADEI (Agência de Desenvolvimento Empresarial e Inovaçao),que,como indica o nome,vai servir para apoiar as nossas micro,pequenas e médias empresas na exploração e descoberta de novos mercados e na gestão organizacional e promover a formulação e implementação de politicas de desenvolvimento e inovação empresarial.A ADEI vai actuar como "coach" pontual e/ou de longa duração em gestão de empresas e vai ter uma incubadora para ajudar as "Start-Ups" (empresas recentemente abertas/criadas) e empresas de base tecnológica.
Para ter acesso aos programas do ADEI,a empresas terão de ter menos de 50 trabalhadores,os gestores/empresários têm de frequentar as formações da agência,co-financiar os custos do programas (uma espécide de taxa) e são sujeitas a empregar jovens licenciados em casos de programa alargado.
È a 1ª medida concreta e visível que o governo implementa desde que tornou-se moda falar em empreendedorismo.O governo governo está de parabens por isso.Contudo,fica-nos a sensação que a agência nasceu mais para ajudar os empresários já instalado no mercado do que para fomentar o empreendedorismo.Isso verifica-se em algumas medidas de acesso aos programas e na ausência (pelo menos no que foi noticiado) de qualquer programa de incentivo ao empreendedorismo dos jovens e/ou de licenciados.Para não depender exclusivamente de tranfências orçamental,e aqui sugerimos mais uma vez com desconhecimento da causa,a ADEI podia criar 2 empresas ou sub-holding: a ADEI Consultadoria (uma consultora de empresas) e a ADEI Capital (empresa de capital de risco para investir em empresas e start-up).

domingo, 2 de novembro de 2008

Cabo Verde na crista da onda da Crise Financeira Mundial

O governo Português e o Banco de Portugal decidiram nacionalizar o BPN (Banco Português de Negócios),controlado pelo SLN (Sociedade Lusa de Negócios) uma vez que foi descoberto operações de centenas de milhões de euros que não estavam contabilizadas nas contas do respectivo banco,que apresenta um prejuízo de 700 milhões de euros.Provavelmente sem consequências para a economia caboverdiana,sabe-se que parte desse prejuízo (cerca de 360 milhões) está relacionado com operações com o Banco Insular, de Cabo Verde, controlado pela grupo SLN, que não constavam das contas do banco.Numa altura que,cada vez mais,se vêm levantando a voz contra os off-shores,embora sem ligação directa,essa é a nossa primeira contribuição para a crise mundial.

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Mais um passo na nossa portugalização

Dizia há dias que Cabo Verde mais valia não ter sido independente...
Então, como não sou nem contra nem a favor, pois não fui eu que decidi a Independência (nasci em 77), nem sou eu que mando hoje (estou longe, sem direito a voto - num caso de referendo - e muito menos activo partidariamente), deixo à reflexão esta notícia.... a parte final é uma evidência!
É a confirmação de uma ideia que parece cada vez mais forte junto de muitos políticos de Cabo Verde, mas que pode parecer uma desonra para muitos outros. Desonra à luta dos que estiveram na Guiné e na clandestinidade, dos que foram torturados, presos e mortos e cuja figura máxima é Cabral...
Vivo fora da minha terra, mas todos os dias lembro-me e as pessoas com quem convivo fazem 'questão' de me lembrar que sou cabo-verdiano, preto (ou mulato, como quiserem) e estrangeiro, apesar de ter dupla nacionalidade. Por isso, pergunto eu, será que o caminho é mesmo esse?
Voltar atrás no que foi uma conquista do 5 de Julho de 1975 e consagrada, ainda mais, em 1991? Ou continuar este rumo do tão falado Estatuto Especial?
Comentem lá que este tema sim é que pode corroer (ou melhorar) a sociedade cabo-verdiana por dentro!!!

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Jornalismo e Vingança Partidária


As noticias que têm vindo a público nestas últimas 2 semanas sobre supostas "ilegalidades" de ex e actuais dirigentes politicos (ministros,ex-ministros,ex e actuais presidentes de camâras,deputados) demonstram na perfeição como e por qual instrumento é que se faz o jogo politico em Cabo-Verde (é claro que não estou dizendo nenhuma novidade).A politica dura e crua,a vingança política,não se faz no Parlamento mas sim nos jornais.Qualquer "espirro" de um político é capaz de contagiar o oponente ficando todos com a mesma "mazela de espiríto": "chibos de segredinhos,ilegalidades e podridões que antes estavam "estratégicamente" reservadas para serem difundidas e utilizadas no momento certo.O Expresso das Ilhas e o Liberal anúnciam notícias pouco abonatórias em relação à "tropa" paicvista e,por sua vez, o A Semana e o A Nação avançam,em forma de resposta,com furos sobre a malta rabentola.Esta noticia sobre supostos "pecados" do Ulisses Correia e Silva parece-me elucidativo.Parece até que a luta é entre os jornais e não entre os partidos.Talvez seja as duas coisas,guerra entre jornais e entre os partidos,o que permitiria compreender o ambiente cada vez mais crispado.Será que vai continuar assim e piorar a medida que vamos aproximando do ano 2011?Será que temos jornais à medida e à semelhança dos nossos partidos?

Ajuda di Kusto

fonte: Liberal Online

Algem sabi flam si e normal,na funson publica,kualker funsionario,seja dirigenti o nau,recebi centu i tal kontu di rés so di ajuda di kusto di um viaji? Mesmo ki e legal,undi ki sta etika na recebi kel dinheru la pa un viaji di alguns dias?Na privadu,um funsionario ki fazi mesmu viaji ta recebi kel kuantia la?

A nossa 'ASAE' finalmente ataca

Chamaram-lhe 'Operação Fritura' e para quem não sabe o que é ou não sabe o que é 'fritura' (de fritar...tão inteligentes que eles são...), foi o nome dado pela Inspecção-Geral de Actividades Económicas (de Cabo Verde, pois claro) a uma espécie de caça tardia aos autêntics pecados que se cometem, nos restaurantes da Praia e tudo o que é buteco..., ao nosso estômago, fígado, rins, intestino...e tudo o que é órgão relacionado com o aparelho digestivo...

Esta notícia saiu no 'A Seamana'...

"A Inspecção-Geral das Actividades Económicas está a efectuar inspecções em estabelecimentos do sector da restauração da Praia para avaliar a qualidade dos óleos de fritura. Os testes de controlo da qualidade são efectuados directamente no local com o auxílio de kits que providenciam resultados imediatos e conclusivos.

De acordo com a inspecção, a fritura descontínua (mais de três usos intermitentes) é o procedimento utilizado por numerosos estabelecimentos de comida rápida e não só.

Esta prática habitual, diz a IGAE, produz oxidação, hidrólise e polimerização, ou seja, gera compostos responsáveis pelo odor e sabor desagradáveis dos alimentos. “Esses compostos podem causar riscos à saúde do consumidor, tais como irritação do tracto gastrointestinal, diarreia, entre outros”, arremata este organismo em nota."

O que preocupa nesta notícia nem é o facto de só agora (há pouco tempo) quererem fazer o que em Portugal a 'bendita' ASAE faz (e muitos não querem que faça, pelo menos com tanto rigor)...esquecendo-se que, se em Portugal que é um país um bocadito mais evoluída, menos pobre, onde as condições de vida são melhores para muito mais gente, é bem mais fácil introduzir regras de boa higiene alimentar...em Cabo Verde isso é quase impossível!!!

Só aponto duas razões.

Primeiro, porque é terra de gente pobre e onde há pobreza há menores condições de higiene...é assim em todo o lado, apesar de não significar uma inevitabilidade.

Segundo, porque em 33 anos de independência nunca nos conseguimos livrar do peso cultural e histórico da ligação (e cópia em quase tudo) do que se faz na nossa ex-metrópole....somos independentes, mas na realidade mais valia não termos sido...

Ou pensam o contrário?! A última parte foi uma provocaçãozita para expicaçar a malta.


PS: Finalmente faço uma contribuição e, como prometido, vou tentar ser mais activo. Só não o fiz mais cedo porque andei umas semanas sem net em casa.

Abraço

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Carolice Profissional


Os nossos actuais politicos no activo podem ser divididos,em termos de antiguidade,em uma maioria que está na política activa a quase 2 décadas e outra grande parte a pelo menos 1 década.Contudo,na maioria das vezes,quando vemos comportamentos e ouvimos discursos da maoria deles (quer do MPD quer do PAICV) só conseguem "presentear-nos" com discursos de "lugar-comun" ou até a roçar a senso-comun e comportamentos de "homens com dor de cotovelo".Ou seja,décadas de exercicio como politicos profissionais (na situação e na oposição) não foi suficiente para que os politicos profissionais sejam mais...profissionais.Senão,como é que alguêm com o trajecto politico do actual presidente da Camára Municipal da Praia apresenta como justificativa para a compra de novos veículos tomo de gama o facto do 1º ministro também andar num carro tomo de gama?Era de perguntar se,caso o 1º ministro tivesse uma Porsche Cayenne,o presidente da CMP também teria direito ao mesmo automóvel.E o pior de tudo,é que os "jotas" e nossos futuros politicos estão a aprender e vão dar seguimento às mesmas práticas.Quando ficamos a saber que agora até algumas crianças "pagam" a culpa pelo facto dos pais serem de um partido opositor, que,provavelmente,a reforma da Justiça vai ser adiada unicamente por causa da "mesquinhices" partidária,das sucessivas,habituais e inconsequentes acusações de corrupção sempre que se muda de presidente em qualquer camára municipal,faz aumentar a minha convicção de que precisamos urgentemente alterar o nosso sitema eleitoral e politico.Precisamos eleger deputados e não partidos de modo a avaliar correctamente o seu desempenho e agir em conformidade.Por enquanto,temos politicos que só servem a si mesmos e aos respectivos partidos e não servem o país.Estamos condenados a conviver com politicos medríoces?