segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Ódio

É isto que tem caracterizado a vida política em CV: ódio!
Muito mais do que a salutar competição política.Aliás, falar em competição política em CV é ser politicamente correcto.As ideias e os projectos para o país de cada um dos dois principais partidos pouco ou nada interessam.O que interessa é que José Maria Neves,Carlos Veiga,Filú,Jorge Santos,este e aquele,fizeram isto ou aquilo,são assim ou assado e têm muito ou pouco.Até a nomeação do presidente do país para o 2º melhor dirigente político em África serve para destilar ódios.Poderíamos dizer que é também a inveja,sentimento normal num meio tão pequeno como o nosso,mas ela,a inveja, já vem incutida no ódio.Parece que a ideia geral é de que quem tem maior legitimidade para estar no poder,quem merece governar,é quem for mais honrado.Não se trata da competição política mas sim de uma competição pelo reconhecimento da honradez individual.E ao mesmo tempo que se auto-promove as virtudes vai-se proclamando os defeitos de carácter do adversário político.E o pior de tudo é que os jovens,que supostamente deveriam trazer maior combatividade ideológica à luta política,não estão a conseguir mudar o rumo deste jogo.

11 comentários:

Anónimo disse...

Eu disse-te 50 anos, Edy! E olha que eu acerto sempre! Tenho fama de diabo, de perigoso e outros epitetos do género!

Mas quando dizem "perigoso", é sinonimo de bom, "muito bom" como admitiu um deles mais honesto, mas para concluir logo: "ha que dar cabo deste gajo".

Odiar, nao! Nao faz parte da minha argumentaçao.

Isto para te dizer Edy, que tu és um teimoso do caraças. Criticas o governo do PAICV mas nao queres saber nada de Veiga e do MPD ou mesmo do PAICV; quase que ia dizendo que é por causa de "odio".

Nao meu caro, estàs equivocado. Quem instalou a cultura de odio nesta terra foi o PAIGCV e Pedro Pires, que pareces admirar, ou pelo menos por ele ter sido erigido por nao se sabe quem "segundo melhor presidente da Africa".

Apetece-me dizer mas quem quer ser condecorado em Africa?

Se continuares com essas tendências masoquistas e é o teu direito, tenho medo que ainda vas esperar 100 anos para veres o teu pais ser um pais a sério; so que ja estaràs morto.

Repito oh jovem: foi o PAIGCV em 1974, quando eu tinha 20 anos instaurouo o odio na minha terra, escorraçando com os melhores desta terra.

Esses gajos nao merecem nem o meu odio. Sao analfabetos, sao desonestos!...

Anónimo disse...

OU MESMO DA UCID, queria eu dizer na frase de nem gostar do Veiga e do MPD....

EDscrevi PAICV, lapso revelador mas que nem Freud saberia analisar...

Anónimo disse...

Interessante Ó Underdouglas, José Boquinhas, Al Binda, V... etc., etc., quem escorraçou os "melhores" da nossa terra foi Carlos Veiga, pois ele foi Presidente da Comissão de Saneamento Político no período revolucionário. Verdade ou mentira? Seja honesto, e admite a verdade dos factos. Recorra aos processos dessa altura e verás quem foi o responsável pelo "escorraçamento" do pessoal.
Ele mesmo: Carlos Veiga. E não tenho ódio dele, é que gosto que as coisas sejam contadas como realmente aconteceram. Não sonegue os factos, meu caro.
A propósito quem disse que: "pedra ku garrafa ka ta djuga"? Quem, nos anos 90, disse que: "primeiro tem k djobedu fidjus di dentu e dipós fidjus di fora", entenda-se o privilégio para as câmaras do MPD.
Procure informar sobre a caças às bruxas que houve no pós-91 e saberás o que se passou.
Não venha com essas histórias de que Veiga é um santinho e tal, porque não o é, e não o foi nos anos 90.
E quem é Veiga para falar de Bagbo, pois sabemos que ele não aceitou o resultado das eleições em que perdeu. Se tivesse pose de um, verdadeiro, democrata a sua postura seria outra. Só não tivemos golpe de estado, porque nós aqui na terra não estamos para estas coisas, ainda bem.

Anónimo disse...

Boquinhas,
quem nos anos 90 disse "n-ta djuga n-ta pita"? quem estava no poder quando os funcionários públicos e os bolseiros no estrangeiro não recebiam durante meses porque o Estado não tinha dinheiro?

Edy disse...

Al Binda,
estás a dizer-me que o ódio do MPD se justifica porque quem levou o ódio para CV foi o PAIGC?

Anónimo disse...

Edy, sabias que eu te tenho por um jovem inteligente e dedicado aos estudos? Vê-se que tu te investes, que trabalhas, que estudas, que investigas à procura do saber.

Logo, nao te faças de atrasado mental. Nao te deixes ser manipulado. Faz trabalho de investigaçao, de historia e analisa a frio, sem estados de alma.


Como é evidente, eu nunca poderia justificar o odio do MPD por causa do odio do PAICV. Nao me faças dizer aquilo que eu nao disse, e tu sabes, que eu sou rigoroso.
Que houve gente dentro do MPD que defendeu odio, nao duvido, mas nao como politica, nao como filosofia.

O que houve no MPD foi incompetência e deslizes proprios de gente que vinha do PAIGCV e que estava a aprender a funcionar em democracia. Sem desculpar os erros do MPD, isto aconteceu em todo o lado. E' um classico da Politica e tu tens que saber isso.

Agora tu nao podes comparar uma democracia do MPD com erros e falhas, com uma ditadura do PAIGCV.

Meu caro, em 1975 so havia um partido, so havia uma ditadura. Em 1991, havia uma democracia pluralista com varios partidos. E se tu nao sabes em todas as democracias populares, com a instauraçao da democracia pluralista a primeira coisa que se fez, foi acabar com os antigos partidos unicos.Foram eliminados por lei pura e simplesmente.

Em CVerde, nao, tal nao aconteceu, graças ao MPD. E para a tua informaçao graças a Veiga, que nao quis vinganças e revanchismos pois havia dentro do MPD uma ala que queria ilegalizar o PAICV, como se fez na Russia, na Hungria na Chescosvaquia, na Alemanha, bem na Alemnaha, até a RDA, um país inteiro desapareceu.

Isto é historia, Edy, e tu tens que ler, tu tens que estudar para nao recusares factos historicos. Podes é concordar ou discordar, mas nao podes omitir historia.

Para tua informaçao eu acho que Veiga cometeu um grande erro historico ao nao ilegalizar o PAICV e seus principais dirigentes pelo menos por algum tempo, digamos uns 20 anos, o que nao impediria que aqueles que nao tivessem nada a ver com a ditadura de criar um novo partido.

Repito Edy, eu vivi esse macabro periodo. Eu sei do que estou a falar. Vocês os jovens de hoje em dia nao sabem o que era a ditadura, nao sabem o que é essa liberdade que vocês têm e que nao tivemos.

Tudo o que se diz do MPD, é exagero e desonestidade e tu um jovem inteligente deverias saber isso;

O PAIGCV Pedro Pires e ARISTIDES eram ditadura, nao havia liberdades, nao havia consittuiçao, nao havia imprensa livre e radios livres; nao havia prestaçao de contas. Meu caro nao havia nada, ou melhor havia ditadura e para a tua informaçao nao se podia ler sequer o Terra Nova e a Jeune afrique que a gente lia às escondidas.

Vocês os jovens sao uns felizardos. Deviam agradecer todos os dias Veiga e o MPD ed a UCID. Infelizemente, vocês sao todos filhos de dirigentes ou simpatizantes do PAIGCV e estao com o cérebro lobotizados.

Honestamente tenho pena de vocês, porque nao conseguem pensar de maneira objectiva. Tu nao podes comparar uma ditadura com uma democracia, por mais barracas que essa democracia cometer. E' uma regra de ciência politica e de um estado de direito.

Cramba, rapaz, nao havia estado de direito de 75 a 91. Vocês passam a vida a falar na década de 90 do MPD. Mas e entao na posso falar da ditadura de 75/90, época que vivi na minha terra que deixei por causa de mentecaptos totalitarios?!!

Quanto a esse energumeno mais acima, ele que fique a saber que Carlos Veiga era um militante de base e que nao era conhecido sequer na minha Ilha Soncente. Eu quando falo daqueles que o PAIGCV dizia deitar ao mar, os melhores, falo de Socente e ali ninguém conhecia Veiga.

Para todos os efeitos, Veiga recebia ordens de PEDRO PIRES, Aristides Pereira e da drecçao politia do PAIGC, aqueles que tinham vindo do mato da Guiné; eExplica esse analfabeto essas regras basicas de politica; Veiga era um menino de mandado de Pires.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

E acabem com essa paranóia de AL bINDA, Bouquinhas, Underdôglas e mais nao sei o quê.

Viram alguma assinatura naqulo que escrevi?

Edy disse...

Ok,
trato-te por Al Binda porque acho chato e impessoal "falar" com alguém sem trata-lo por um nome qualquer...bom,sobre o nosso assunto,eu não falei da ditadura,da democracia,da liberdade,da história e tal...disse apenas que é mau e cansativo essa forma de fazer política baseado em ódios pessoais,tanto de um lado como de outro;de que o me importa a mim é o quê os partidos querem para o nosso país e não o que este ou aquele fez no passado...
abraço

Anónimo disse...

Ó Al Binda, chamar-me de "energúmeno" mostra claramente o quão baixo é a tua discussão e teu "rico" palavreado. Ninguém pôs em causa se houve ou não ditadura, sinceramente. De qualquer forma, não respondeste à minha questão. Veiga foi ou não o responsável pelo "escorraçamento" do pessoal no período revolucionário?
É que ele não têm "moral" para dar lições a várias pessoas do PAICV sobre democracia, pois ele foi um indivíduo do sistema naquela altura. Mas Veiga não era um simples " menino de mandado" como defendes, ele estava muito cônscio do que fazia.
Discutamos as ideias e factos, não me ataques pessoalmente, e nem destile ódio, please.

Anónimo disse...

Fiz uma ma manipulaçao e perdi todo o meu texto, pelo que fico por aqui. Mas oh Edi foste tu a escrever sobre o odio e para falar do MPD.

Logo entraste em contradiçao. Quanto ao energumeno ele que aprenda a ler pois ja respondi e disse' que Veiga era um desconhecido na minha ilha.