segunda-feira, 31 de agosto de 2009

O empreendedorismo em CaboVerde é elevado ou baixo?

Numa conversa de café,ou mesmo em algumas conferências,fóruns e debates,é habitual ouvirmos que "em Cabo Verde não existe empreendedorismo" ou,numa posição mais simpática que àquela,que "em Cabo Verde,o nível de empreendedorismo é muito baixo".
Perante a pergunta, «qual é o nível de empreendedorismo em Cabo Verde», só podemos responder com base em "palpite" ou intuição (infelizmente, o recenseamento empresarial do INE dá-nos, por enquanto, apenas pistas). A nível internacional, a taxa de empreendedorismo é medido com base no estudo anual efectuado em vários países (onde está incluído Portugal, Brasil e Angola) pelo consórcio,liderado pela Babson College e London Business School, denominada GEM (Global Entrepreneurship Monitor).Esse estudo analisa o empreendedorismo na sua vertente de criação de empresa e divide o fenómeno em 2 tipos conforme a motivação do empreendedor:temos assim o empreendedorismo por necessidade (quando,por ex.,a empresa foi criada por um desempregado como forma de auto-emprego) e o empreendedorismo por oportunidade (quando um quadro superior,de uma empresa ou da função pública, cria uma empresa como consequência do reconhecimento de uma oportunidade).Mesmo sem números e sem estudos,"desconfio" que em Cabo Verde o empreendedorismo por necessidade é elevado (temos por ex. o caso dos "viradores",no Brasil, e de "rabidância" em Cabo Verde) e o empreendedorismo por oportunidade,este sim, muito mais baixo. Portanto,não podemos dizer com segurança se o empreendedorismo no global é alto ou baixo.Eventualmente,temos alto taxa de empreendedorismo por necessidade e uma taxa baixa de empreendedorismo por oportunidade.Quando ouvimos a habitual resposta "o empreendedorismo em Cabo Verde é baixo" é porque a pessoa está,geralmente,a pensar no empreendedorismo de base tecnológica (ao que parece,para algumas pessoas,a "essência" para um novo modelos de desenvolvimento económico).