domingo, 7 de junho de 2009

O Novo PAICV:partido de esquerda com discurso liberal/neoliberal/?

Tenho que começar com um aparte:embora haja algumas pessoas que não gosta da palavra e do conceito Neoliberal,ela existe como um movimento intelectual (acho que essas pessoas não são neoliberais mas sim liberais à moda clássica;ou seja,são inspirados mais pelo Adam Smith e pelo David Ricardo do que pela Ayn Rand,Hayek ou Milton Friedman que defendem que as pessoas têm tendência a perseguir os seus interesses próprios,e não interesses colectivos).A ideologia neoliberal e o discurso do management actual,sustêm que as novas regras de competetitividade exigem a diminuição da protecção dos direitos do trabalhador,e uma disponibilidade total em relação à empresa;caracteriza-se,essencialmente,pela radicalização da nossa condição de invidivíduos socialmente egoístas em busca unicamente da nossa satisfação individual;em traços gerais,enfatiza-se o individualismo e o egoísmo racional.A ética de Ayn Rand advoga que os indivíduos têm o direito de viver por amor a si próprios, sem preocupação pelos outros, e sem esperar que os outros se preocupem com eles (a diferença é que Adam Smith é um "filósofo ético" que vé o homen como um ser social imbuído do sentimento de compaixão e não como um indivíduo egoísta-é por causa dessa diferença que se utiliza o termo neoliberal).Ora,quem é que nos seus discursos vem apelando mais,nos seus discursos,à capacidade individual e à iniciativa privada?Quem é que tem discursado em prol de um relativo afastamento do Estado e entrada do sector privado em quase todos os domínios?O MPD,óbviamente,sempre teve esse discurso,mas também o actual PAICV da esquerda moderna.Vemos o PAICV justificando constantemente a "saída" do Estado do sector da Cultura,apelando à iniciativa empresarial dos indivíduos para combater o desemprego e a pobreza,etc etc.Argumentam que,se a pessoa está desempregada é por culpa do próprio e não da estrutura social da economia,se não há semanalmente eventos de manifestações culturais é por causa da falta de iniciativa dos agentes culturais,os trabalhadores são poucos produtivos por causa da falta de profissionalismo,etc etc.Ou seja,tu és o único responsável pela tua condição social e profissional.Isto não é uma crítica,cada partido escolhe o melhor caminho para si e para o país;é apenas uma constatação.O PAICV não tem ido tão longe em relação à sua génese identitária mas tem sido,pelo menos no discurso,um partido liberal.Não é apenas o MPD que tem um problema de identidade ideológica,como gostam de salientar o Rony e o Amilcar Tavares.A actual direcção do PAICV foi atingido pelo charme do Tony Blair.Essa esquerda moderna,reformista e progressiva,no fundo não passa de uma esquerda liberal.Por isso,não se pode acusar este PAICV de ser uma partido comunista ou estatizante.Pelo menos no discurso.E também por isso,o MPD está sem muito espaço para propór politicas alternativas à dos que tem sido implementadas e defendidas pelo PAICV:apenas propõe que podem e sabem gerir melhor a economia.