quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Perguntar Não Ofende

Começo por salientar que a nossa diferença não está no diagnóstico mas sim na cura,ou melhor,no remédio para a cura.Por isso gostaria de perguntar ao Redy (e ao Rony) isto: no dia a seguir as manifestações,o que virá,o que vai mudar e o que vai acontecer?Que sistema politico e que sistéma económico vão querer implementar?Uma sociedade civil activa,consciente e atenta só se manifesta na e pelas manifestações e passeatas?

6 comentários:

Rony Moreira disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Redy Wilson Lima disse...

Nhu Naxu o teu grande erro foi ter visto no meu manifesto uma revolução sangrenta, talvez pelo desconhecimento da real filosofia anarquista libertária. Em nenhum lugar visto escrito que haveria uma manifestação para mudar o sistema actual. Proponho sim um movimento cívico de cariz anarquista. Convido-os a fazer uma pesquisa sobre o movimento libertário e ficarão surpresos por descobrir que afinal os anarquistas acreditam na democracia directa. Não fazer das minhas uma palavras uma espécie de desejo da revolução francesa. Prefiro antes de mais um Maio 68. Não há antes e depois, aqui ninguém é irresponsável e ditador. CV precisa sim de uma sociedade civil forte que dê nas vistas e obriga o governo a prestar contas. Isto sim será uma verdadeira democracia. Em todos os países democráticos de verdade a sociedade civil sai às ruas e talvez por isso estão onde estão.

Rony Moreira disse...

Queria te um favor, retire o primeiro comentário e coloque o que vou te enviar agora. Tive que fazer umas correcções. Obrigado

Rony Moreira disse...

É claro que uma pergunta não ofende e nem duas ou mais. Eu do meu lado desejo um Estado de moral e de iguais oportunidades. Prefiro mil vez que Cabo Verde se transforme numa Suécia do que num Estados Unidos. Prefiro um Estado de sucesso socioeconómico, o mesmo que dizer um Estado de bem-estar social, de que um país materialista e segregada economicamente. E acredito que estamos a desviar muito dessa rota, e a culpa é colectiva. Uma sociedade de brado costume e apática é mortífera para a concretização desde ideal, precisamos de um terceira via de manifestações políticas − um partido politico é uma manifestação política, tenho que fazer este reparo porque andam a confundir manifestações e movimentos cívicos com pancadaria, bombas de molotov e carga policial. Exemplo: a blog joint é um movimento cívico. Geração Pantera é uma manifestação e um movimento cívico e cultural. É nisso que eu acredito. Não proponho nenhuma nova ordem, mas sim proponho a melhoria desta ordem. É claro que uma sociedade pró-activa não se manifesta só com manifestações de rua e movimentos cívicos, mas uma sociedade democrático de sucesso evidencia-se pelos seus movimentos.

Nhu Naxu disse...

Redy,
tens de reler o meu post anterior para verificares que em nenhum momento vi no teu "manifesto uma revolução sangrenta",nem nada que se pareça..portanto,não errei...Rony,também pretendo tudo o que disseste mas a nossa diferença,suponho eu,está no caminho a chegar aos nossos objectivos:tu achas que greves e manifestações "pacificas" é um caminho e eu acho que esse não é o caminho...contudo,falta a resposta à perguta: e depois (o "day after",o dia depois de,por ex,uma manifestação contra a Electra)?

Rony Moreira disse...

Vamos lá ver um ponto! Quando há expectativas e estas mesmas expectativas correspondem as necessidades básicas para a concretização social e económica da felicidade como é a energia e a água; e quando a numa década (uma década ou mais) o Estado (em primeiro lugar) e entidade empresarial (Electra em 2º lugar) não conseguem e nem sabem como resolver este problema; pior, estão nem ai para o resolver e acrescendo a isto a Electra abusa nos curtes e quantia individual cobradas as famílias. Se a população da Praia não manifestar com todo afinco (pagando a Electra um mês sim e um mês não, assim como fazem com os curtes de Electricidade e água, um exemplo de manifestação), vais ver se o governo ou a Electra não vão surgir com uma solução. O sublinhar e o depois o “day after”, ou seja o depois é a resolução da situação, o desbloquear do indecisão ou por bem ou por mal. Acredito que será mais por bem do que por mal. Como debater é bom vou lhe fazer uma pergunta: Qual é a diferença entre as populações da Cidade da Praia e do Mindelo? Vou-lhe já responder, as pessoas no Mindelo mobilizam e protestam, usam o lobby para conseguir os seus intentos e ambições. Esta é a grande diferença, porque dez anos ou mais para resolver da Electra é muito. Uma coisa que não entendo é o porque este fobia a manifestação e a greve?