domingo, 1 de fevereiro de 2009

O Que Pode Fazer a Sociedade Civil pela Cultura?

Falta de dinamismo,pouca visibilidade do sector,ausência de investimento,falta de políticas para os vários sectores da vida cultural,falta de infraestruturas culturais (cinemas,teatros,museus,galerias de arte,etc),pouca ou nenhuma formação dos e para os quadros do ministério e para os agentes culturais,a incapacidade de controlar a pirataria,a questão da oficialização do crioulo e,escassez de verbas e ajudas aos artistas e,até,a incompetência do ministro da cultura.São essas,entre outras,as principais critícas que se tem feito ao ministério da cultura e ao seu actual titular.
Contudo,com razão ou não,temos,nós e os agentes culturais,de questionar: o que faz a sociedade civil para dinamizar a cultura em Cabo Verde?
Tivessemos nós mais tradição e hábito em agruparmos em associações,grémios ou movimentos teríamos um sector cultural mais dinámico.È claro que já se faz e já se fez isso e,alguns,com sucesso (o mindelact e os grupos associados é um exemplo).O que temos são inúmeros exemplos de movimentos ou associações com pouco anos ou meses de vida sem chegar a idade adulta.Se calhar,mesmo correndo o risco de estar a ser injusto,essa é uma das nossas principais características:não temos força anímica suficiente para mantermos ao longo dos tempos uma associação de âmbito cultural.Todos que surgem,em pouco tempo,desapareçem maioritariamente por "falta de comparência".Imaginem o que podería fazer pelo cinema uma Associação Caboverdiana do Cinema e Teatro (que juntasse os profissionais e os consumidores),uma Organização Nacional de Músicos (que podia ajudar na agenda dos festivais ou ajudar e apoiar os músicos),uma Organização de Livreiros e Editores,etc,etc.
Não teriam todos,em conjunto,maior poder de pressão e influência junto do ministério da cultura?As empresas não apoiariam mais fácilmente uma associação em detrimento de um artista individual,beneficiano assim da lei do mecenato?E o mediador que o Abrãao diz estarmos a precisar,não é uma figura tipo um curador de arte ou crítico literário/música/cinema/arte (faz falta um curador e críticos qualificados em CV);esse mediador,fruto do baixo nível cultural do país, é algo ainda incipiente em Cabo Verde: o mercado (o mercado cultural,se quisermos).È o mercado que faz a mediação entre a mediocridade e a excelência em cada segmento cultural.
Temos todos,nós e os artistas,criticando e agindo individualmente e,aparentemente,sem resultados.Que tal se tentarmos criticar e agir colectivamente através de associações de cada sector cultural?E,para ter maior peso,criar uma rede de acção cultural que engloba todos os sectores da vida vida cultural?

7 comentários:

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Jorge Goncalves disse...

Estranho os gajos que estão sempre a criticar o Ministro da cultura (João Branco,Abrãao Vicente e César Schofield) não comentarem este post.Ainda por cima depois do que escreveu o Al Binda sobre o João Branco...afinal é mesmo verdade que criticar é muito fácil,é só abrir a boca...bom post nhu naxu!

Anónimo disse...

Ola Naxu,
Este texto que mandei para o Semana tem o seu lugar aqui, porque pode ser completar ao teu Estado de ditadura do direito por razoes que poderei depois explicar e que curiosamente apesar de eu ter criticado a tua "invençao" poderà ir no sentido das tuas preocupaçoes nesta matéria de direito.

Aqui vai:
Ainda nao houve ninguém que pudesse deitar abaixo os meus argumentos de maneira racional. Alguns perguntam-me se Obama com a idade que tem pode ser Presidente dos Estados unidos.
Nao é a questao sobre a mesa mas para vos mostrar que nao tenho medo do contraditorio inteligente, aqui vai a minha analise; Uma eleiçao geral, presidencial ou legislativa nao tem nada a ver com uma nomeaçao de um presidente de um Supremo tribunal.


Na primeira é o povo que escolhe e para ser presidente da republica, nao ha em lado nenhum, nenhuma regra ou norma que exija que a pessoa tenha qualidades intelectuais ou estudos adequados; ja para a segunda hipotese a simples questao de estarmos a falar de um juiz e de um supremo tribunal ja implica que o candidato tenha imperativamente qualificaçoes na area.


Logo o exemplo de Obama nao é chamado para aqui. Um presidente da republica pode ser mesmo um semi-analfabeto e ha exemplos. Mesmo assim, continuando ainda com Obama, é preciso que os meus contraditores saibam, que ele é a excepçao que confirma a regra explanada mais acima.

E’ uma excepçao, porque Obama, para ja é jurista e politologo de Columbia e Harvard (a universidade mais prestigiada do mundo) e ele foi professor de direito constitucional.

Logo, Obama nao està à altura de ser apenas presidente da republica mas ele tem pergaminhos para ser também presidente do Supremo tribunal. So lhe falt idade no meu ponto de vista! Mas pode ser discutivel. Alias duvido e acho que a nivel politico ele vai ser uma desilusao. E’ mais um esquerdista reciclado em social democrata!


Vejamos outros dois exemplos. Dizem-me que Neves tinha 40 anos quando foi nomeado primeiro ministro; Pergunto: e depois? O que é que isso prova? Nao prova rigorosamente nada. E nao é porque ele foi primeiro ministro aos 40 anos que ele foi bem escolhido e sobretudo que ele tivesse tido um bom desempenho nessas funçoes.

Ora bem, quando ele foi nomeado, eu escrevi algures que ele era um estagiario à frente de uma equipa de estagiarios. Alias, ele proprio veio a publico dizer que ele e o seu governo estavam a aprender. Logo....


E para ja, devo dizer que Neves e o seu governo nao desenvolveram o pais como deve ser em 8 anos, precisamente porque continuam a nao dominar os dossiers. Portanto o exemplo dado nao me serve. Sou muito exigente.

Que dizer de Pedro Pires como alguém diz que ele também tinha 40 anos quando foi nomeado primeiro ministro. Aqui vou ser mesmo rapido. O desastre da ditadura ja é historia, inclusivé posta em livro por um dos seus companheiros de luta na pessoa de Onésimo Silveira.

Enfim, um palhaço qualquer me pergunta se eu queria que fosse Varela. Ora bem eu escrevi aqui que ele estava velho demais para ser juiz e que ele devia ir para a casa.


Mas nem 8 nem 80! Repito, concluindo que o actual puto de 40 anos nao pode ter experiencia nenhuma para ser presidente de um supremo. Quero que me dêem exemplos de um presidente de um supremo de 40 anos numa democracia a sério.


Os meus criticos nao encontrarao um unico exemplo sequer para me dar, porque nao existe em lado nenhum.

Houve quem me perguntasse se nao ha juizes com essa idade no supremo tribUnal americano. Respondo que nao ha e que o presidente desse supremo tem 70 anos.


VejAMOS Portugal que serve sempre de exemplo. O presidente do supremo tribunal português assim como o seu colega do tribunal constitucional nao têm como é evidente 40 anos e nem tao pouco 50 anos.
A mesma coisa para os supremos da ITALIA, Alemanha ou França.
O problema é que em Cabo Verde temos a mania que somos bons em tudo e que somos especiais.
Pois bem amigos, um presidente de um supremo em qualquer dos paises citados, é na maioria dos casos um catedratico, com livros da sua especialidade juridica publicados, um juiz com muitos anos de experiência entre varios tribunais. E como eu disse alguém idoneo, responsavel, com muit experiencia e reconhecido e respeitado pelos seus pares.



Nao tenho nada contra esse puto de 40 anos e nem sei se ele tem competência adequada, ou melhor eu sei: ele tem apenas uma licenciatura e uma pos-graduaçao da escola de magistrados. Ja é uma boa preparaçao técnica. Mas ele nao é catedratico pois nao tem doutoramento e nao escreveu nenhum livro de jurisprudência ou de qualquer especialidade das ciencias juridicas.


E enfim, ele nao pode ser maduro com 40 anos e conhecer a psicologia para decidir da vida de homens ou de conflitos politicos ou de sociedade para ser Presidente de um Supremo. So em Cabo Verde, repito e o tempo vai-me dar razao. Direito, Justiça, decidir da vida e da morte de um homem, nao é cisa de pexote!...

Ps acho que a blogosfera està a lançar temas demais e muito depressa para cima da mesa para serem debatidos. Ha que dar tempo aos leitores para esmiuçarem como deve ser os temas. O problema é que as pessoas limitam-se a dizer que sao contra ou a favor deste ou daquele mas depois nao desenvolvem os seus argumentarios. Mas como eu disse vou ensinar essa gente a reflectir como deve ser...AlBinda

Rony Moreira disse...

Sociedade o quê, civil!!!!!! Em CV não existe sociedade civil, porque desmontaram isto, incrível é que supostamente num regime democrático que as pessoas deviam ser mais participativo e envolvente. Podem me chamar de saudosista, mais tenho saudade de Cabo Verde de a 15 anos, onde havia actividades sociais e culturais, onde as pessoas envolviam nas tarefas da comunidade e do país. O país deve rever de vezes enquanto o seu percurso.

Nhu Naxu disse...

Al Binda,
tb acho que,para cargo de juíz,a idade é uma variável importante.por ex,não concordei com a nomeação de um juíz (S.Nicolau ou S.Antão,não me lembro agora qual ilha era) récem-licenciado,sem magistratura feito e de 23 aninhos...não que técnicamente não esteja preparado,isso nem sei dizer.Mas um juíz tem de ter uma "experiência de vida" que um jovem de 23 anos não tem...

Rony,o corpo do post diz,por outras palavras,exactamente isso:não existe uma sociedade civil.Mas,deixa-me perguntar-te directamente:o que estás a fazer para mudar esse facto?

Nhu Naxu disse...

Al Binda,
quanto ao teu 1º comentário deixa-me dizer que não gostei muito dos insultos dirigidos à pessoa do João Branco.Não porque estou a defende-lo,não o conheço nem de perto nem de longe,nem nos "média" e nunca sequer vi uma peça teatral dele.Podes não "acreditar" nele enquanto profissional e podes afirma-lo aqui neste blogue e fundamentando a tua posição mas a base duma discussão teórica.Não queremos que este seja um espaço onde se pode insultar livremente os outros,qualquer que seja esse outro.Alias,é por isso que a maioria dos blogues começaram a "truncar" os comentários..digo-te que não o queremos fazer aqui,queremos deixar a possibilidade dos comentários automáticos e livre de controlo.Portanto,estou a pedir-te directamente,que tentes moderar a linguagem mesmo porque,das coisas que tens escrito pela net,acho que tenho muito por debater e até contigo a nível teórico.Não me leve a mal esse "reparo".
Abraço

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.